23.10.11

pequenos nadas



" Já chorei isoladamente a tua ida, já quis ir também e, por vezes, pôr fim a minha vida. Hoje, não quero mais nada do que verdade. Com o tempo, fui-me habituando a casa silenciosa, ao pequeno almoço tardio que dá mais lugar ao almoço, à televisão durante a noite desligada e a escutar o som dos mochos pela madrugada. Pequenos nadas, que vieram alterar por completo a minha vida. Contigo, nunca dera atenção a isto. Vivia constantemente num stress tremendo por manter tudo equilibrado, tal como tu gostavas. Vivia obcecadamente duas vezes : a minha vida e, também, a imitação da tua. Queria-te sempre agradar ao máximo, nunca deixando nada para trás. Queria sempre que fosses o melhor, que tivessem inveja de ti. Isso sim, deixava-me feliz, orgulhosa e realizada. Orgulhosa na verdade de algo que, não era nada mais nada menos. conseguido por mim. 
Admito que, hoje dou mais valor à minha vida, e claro está, a mim. Nunca antes tive um ego tão alto nem me senti tão bonita. Sabes, as mulheres às vezes também precisam de carinhos e de se sentirem as melhores. As mulheres também constróiem pequenos nadas, que precisam de ser realizados. Porém, temos um terrível defeito : vamos sempre em benefício do outro, até chegarmos ao ponto de nos esquecermos de nós mesmas.
Mas, fazes-me tanta falta. E a falta que me fazes não se resgata em toda a beleza que passei apreciar, nem em todo o ego que me subiu. Fazes-me uma falta tremenda, mas já não choro. Não choro, somente porque já tudo foi dito, feito e chorado. Já tudo foi deitado cá para fora. E como a minha querida amiga Francisca chegou a dizer : já não há nada a chorar. O teu mais que tudo dentro de mim secou. Por isso, deixo-me ficar pela saudade que me consome durante a madrugada e pela louca falta de ti. Aprendi a viver com esta constante da vida e, acima de tudo, aprendi a contorna-la ! "

37 comentários:

sara oliveira disse...

como eu te percebo meu anjo! este texto podia perfeitamente adaptar-se a mim...

alice disse...

Que saudades eu tinha disto *.*

alice disse...

Tinha saudades de te ler, de visitar o teu espaço *-*

carina disse...

que lindo...que saudades:)

Rute Maia disse...

estava já a sentir aquela faltinha de te ler, acredita minha querida, sabes que te admiro quanto a este teu talento natural! gosto tanto! *

Rute Maia disse...

é aquele gostinho especial que não se explica, enquanto se lê *.*

carina disse...

obrigada:)))

claudiagomes. disse...

Mas, fazes-me tanta falta. E a falta que me fazes não se resgata em toda a beleza que passei apreciar, nem em todo o ego que me subiu. Fazes-me uma falta tremenda, mas já não choro. Não choro, somente porque já tudo foi dito, feito e chorado. Já tudo foi deitado cá para fora. E como a minha querida amiga Francisca chegou a dizer : já não há nada a chorar. O teu mais que tudo dentro de mim secou. Por isso, deixo-me ficar pela saudade que me consome durante a madrugada e pela louca falta de ti. Aprendi a viver com esta constante da vida e, acima de tudo, aprendi a contorna-la ! - more than perfect.

Rute Maia disse...

nada disso, é como andar de bicicleta, nunca mais se esquece xb

Aurora disse...

que vou amor, eu cá já cá estou <3

Aurora disse...

e olha tive saudades tuas e da tua escrita, foges porquê?

claudiagomes. disse...

Sabes bem que eu sou extremamente louca pela tua escrita.

Aurora disse...

oh percebo-te tão bem amor

Aurora disse...

é doce, e eu fujo mesmo muito

beatriz disse...

"Porém, temos um terrível defeito : vamos sempre em benefício do outro, até chegarmos ao ponto de nos esquecermos de nós mesmas." isto esta.. arrebatador

sara oliveira disse...

hey babe ja foi a algum tempo, é um post onde o titulo diz "carta para o meu amigo virtual favorito"

alice disse...

Muito obrigada pequenina <3

DÉBORA disse...

não tenho palavras para descrever este texto. escreves maravilhosamente bem, adorei :)

rb* disse...

obrigada docinho

m. disse...

É triste..

ana disse...

escreves lindamente, como sempre!

ana disse...

não agradeças :D

Cláudia N. Matos disse...

Força!

DÉBORA disse...

obrigada eu querida*

Ran disse...

que doçura :)

cátia oliveira; disse...

ADORO.

Ran disse...

ora essa, lindo é este teu cantinho <3

Ran disse...

oh, é sim :)

Ran disse...

ora essa :)

inês disse...

muito obrigada, querida.

Rute Maia disse...

mas felizmente, isso não tem de ser regra minha querida!
e nem sempre aquilo que conquistámos vai logo com o vento, por vez, fica junto de nós. e vamos tendo força para o manter assim*

Amêndoa disse...

adoro, meu amor! completamente!

rb* disse...

obrigada princesita

cátia oliveira; disse...

adoro.

▼ Danii disse...

Só pode, mesmo :p
Há quanto tempo não passava por aqui, querida :o

Cláudia disse...

Um texto tão triste, mas muito bonito, gostei muito :D
Escreves mesmo mas mesmo bem, assério :)
Estás num bom caminho rapariga :b
Vou seguir, com o maior gosto :$

Litopedian disse...

Que lindo excerto =)*