23.7.10

Terás sempre de te revelar


E, olha... queres amar - me ? Nem uma justificação, fizeste tudo a sangue frio ! Eu sentia, eu via em teus olhos toda a verdade que tu escondias ! Por muito que negasses, eu conhecia - te como a palma das minhas mãos... para mim tu eras transparente . E olha, eu à noite fugia da verdade, da tua verdade ! Sabes, ela tentava dizer - me à força toda o que tu não fazias !
Sempre me disseste para não chorar, mas como poderia eu suportar uma dor tão grande sem libertar tudo o que tinha aqui dentro, quase a sair a todo o custo ? Eu tentava negá-lo, eu tentava engoli - lo, mas tudo o que engolia era seco ! Não desaparecia ! Tal como tu da minha vida !
Quem me dera poder um dia acordar e tudo que me levasse a ti, desaparecesse por completo ! Está insignificância que eu mostrava - te , fez - te ter coragem de me abandonar no meio do nada, e de me deixares desprotegida e em risco de vida ! Ocorreu - me tudo, tudo, tudo pela cabeça ! E eu caí nas tentações... afinal não sou de ferro ! Eu precisava de ter preocupações e sentir dor, para te afugentar de mim ! Eu precisava de motivos para não morrer ! Eu precisava de mil e uma coisas para te tirar da minha cabeça ! Cheguei sim a este ponto, mas devido a ti !
Sinceramente, queixavas - te de tudo, e não tinhas motivos para isso ! Importavas - te demasiado contigo, e os outros que ficassem para trás, querias ser perfeito ! Querias ser uma pessoa que não eras, e porquê ? Irias mostrar, mais tarde ou mais cedo, o teu verdadeiro eu !

7 comentários:

Cat disse...

O "verdadeiro eu" mostra-se sempre, de uma forma ou de outra.

Cat disse...

Estava a dar ênfase ao facto de :p
Era tão mais simples mostrar logo quem se era.

- annafilipa disse...

Obrigada ;$

catraia disse...

don't cry*

Isabel disse...

Obrigada querida :)

biazinha disse...

Que texto bonito :)

-NαdineRαmαlho disse...

adoro a maneira como escreves ++