16.6.10

Escudo


Cada um tem um escudo guardado dentro de si mesmo, que só o encontram quando sentem a necessidade de viajar no tempo e guardar todas as recordações em algures. Eu quis guardá-las... e encontrei o meu próprio escudo. É tal e qual a minha imagem. Tal e qual eu gosto: Preto e Vermelho.
Nesse instante apercebi - me que foste para aí habitar no momento que te esqueci, e porquê ? Porque agora és só uma recordação. Vi fotos antigas, voltei ao passada e revivi - o ao máximo. Gostei. Senti - me bem no meio de uma tonelada de lágrimas e sorrisos perdidos. E ao fim ao cabo, isto tudo chamado de 'recordações' é a minha vida passada. É a minha parte do jogo passada até ao momento.
E no meio daquilo tudo, encontrei um bilhete. Um bilhete todo amachucado e rasgado dos lados. Hesitei ! Pela primeira vez senti medo de reviver a minha vida. Com muito cuidado peguei nele, e os meus dedos com todo o cuidado desenrolaram - no da bola em que ele estava. Deparei com uma letra toda esbugalhada a tinta preta. Fixei a minha atenção simplesmente naquele pedaço de papel sujo. E, li a carta... E (...) a partir de um momento, toda a minha infância, e tudo o que passei, passaram pela minha cabeça, pelo meu pensamento, numa grande pressa. Quis parar aquilo. Dentro de mim algo sabia que aquilo ía por - me novamente em risco. Quando a minha força falou mais alto, consegui ler por fim a carta.
Era tua ! Fiquei feliz por saber isso. Fiquei feliz por saber que ainda te preocupavas comigo e ainda me querias feliz. Algo estranho invandiu - me. Estupidez, sensação de mudança... Não sei bem. Percebi, com muito esforço que era a tua despedida... 'E irei partir, e irei abrir os meus horizontes, longe ! Longe de ti, longe de nós.'
Longe de mim ! Sempre soube que querias isso. Sempre soube que era uma fustração na tua vida. Mas... o que custa é saber que não tives - te a porcaria da coragem para me o dizer. Nao foste sincero comigo ! MENTISTE - ME !
A dor que se instalou depois de saber que me mentis - te foi tão grande.... Noite de puro sofrimento.

' Agora não habitas no meu coração, mas sim no meu escudo onde guardo recordações. Perdes - te todo o teu valor para mim ! A minha vida deu outra grande volta, e eu nem dei por nada. '

9 comentários:

Anónimo disse...

- qe lindo texto amoor ;)
- tu tens mesmo jeito p'ra isto :D
- amo-tee (LL)*
- by: -suh*

Anónimo disse...

Que Liinda *.*

Priincesa, os teus textos são tao lindos *o*

Gostiii :D<3

Anónimo disse...

Simplesmente fantástico o texto...


Adoro os teus textos Rute <3

Anónimo disse...

Esta espectacular bochechas ! :'c <3

Clara disse...

é mesmo verdade :)

chica :) disse...

que lindo amor
:D

fibras que servem para cagar« disse...

muy guapo innina tora

dannó disse...

Tu escreves tão bem querida *_*

Dulce disse...

Que lindo Trinca ;)